2
2

VOCÊS VIRAM ISSO?

“Assentado diante do gazofilácio, observava Jesus como o povo lançava ali o dinheiro. Ora, muitos ricos depositavam grandes quantias. Vindo, porém, uma viúva pobre, depositou duas pequenas moedas correspondentes a um quadrante.” (Marcos 12:41,42).

Bom dia!

Embora possa parecer, não é assim tão fácil apresentar a Deus uma adoração substantiva, algo que o faça se levantar, pois nossa natureza afetada pelo pecado luta contra esse relacionamento perfeito e agradável a Deus.

William Temple (1881-1944), Arcebispo de Cantuária, escreveu certa vez sobre a adoração: “Adoração é a submissão de toda a nossa natureza a Deus. É o despertar da consciência por sua santidade, o alimento da mente por sua verdade, a purificação da imaginação por sua beleza, a abertura do coração ao seu amor e a submissão da vontade ao seu propósito. E tudo isso reunido em adoração é a maior das expressões humanas de que somos capazes.”[1]

O Evangelho de Marcos nos mostra Jesus assentado em frente ao gazofilácio (uma caixa onde as pessoas depositavam suas ofertas) a observar o comportamento daqueles que ofertavam. Imagino Jesus assentado, um pouco entediado com tudo aquilo, a olhar cada pessoa que oferecia sua oferta, mas o que elas faziam não o afetavam de modo nenhum. Provavelmente, os discípulos estivessem por perto, igualmente distraídos, a aproveitar aquele raro momento em que Jesus parecia não fazer nada.

O texto nos informa que muitos ricos vinham e depositavam grandes somas de dinheiro no gazofilácio. É possível que isso alegrasse muito aos administradores do Templo, os saduceus, uma classe aristocrática. Jesus, no entanto, não se movia. Aquele que é o dono do ouro e da prata não se comove com as grandes somas de dinheiro dos ricos.

De repente, algo aparentemente corriqueiro e, aos nossos olhos, até mesmo constrangedor, aconteceu. Uma viúva pobre entrou na fila com os ricos e depositou na caixa duas pequenas moedas. Eu posso ouvir o som das moedas bater no fundo da caixa e até adivinhar certo desprezo dos saduceus ou qualquer outro responsável que estivesse próximo.

Diferentemente de todos, Jesus se moveu. Ele, que estava assentado, se levantou, chamou os discípulos e lhes perguntou, animado: “Vocês viram o que aconteceu?” Consigo imaginar os discípulos olhando um para o outro sem saber o que dizer. Judas, aquele que carregava a bolsa e que vendeu o Senhor por trinta moedas, certamente observou as grandes somas de dinheiro sendo trazidas e as cobiçou.

Jesus, então, lhes disse: “Em verdade vos digo que esta viúva pobre depositou no gazofilácio mais do que o fizeram todos os ofertantes. Porque todos eles ofertaram do que lhes sobrava; ela, porém, da sua pobreza deu tudo quanto possuía, todo o seu sustento.” (Marcos 12:43,44).

Jesus lhes apontou um ato extraordinário de adoração e de fé no Senhor. Desapego, amor, confiança, podemos usar várias palavras para descrever o comportamento e a atitude da viúva, mas o que mais me impressionou foi sua capacidade de deslocar Jesus, seu poder de tirar Jesus da inércia e movê-lo do lugar onde estava.

Grandes somas de dinheiro, palavras bonitas, grandes edifícios, roupas chiques, posição, autoridade ou qualquer outra coisa que valorizamos em nosso tempo não significam nada para Deus, não têm força suficiente para movê-lo, valem menos do que um espírito quebrantado, menos do que um coração compungido e contrito (Salmo 51:17).

A viúva pobre deu-nos um exemplo real do que é amar a Deus “de todo o coração, de toda a alma, de todo o entendimento e de toda a força” (Marcos 12:30), por isso foi louvada por Jesus. Fico a pensar se alguma coisa que eu tenho feito tem sido suficiente para deslocar o Senhor, fazê-lo se levantar, chamar os anjos e lhes perguntar: “Vocês viram isto?”

________
[1] TEMPLE, William. Writings in St. John. In: LARSON, Craig Brian; LOWERY, Brian. 1001 Quotations That Connect. Zondervan, 2009. Kindle Edition.

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…