2
2

UMA BOA QUESTÃO

“Certo homem de posição perguntou-lhe: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom, senão um, que é Deus. Sabes os mandamentos: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, honra a teu pai e a tua mãe. Replicou ele: Tudo isso tenho observado desde a minha juventude. Ouvindo-o Jesus, disse-lhe: Uma coisa ainda te falta: vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro nos céus; depois, vem e segue-me. Mas, ouvindo ele estas palavras, ficou muito triste, porque era riquíssimo.” (Lucas 18:18-23).

Bom dia!

Naquele tempo, um homem de alta posição, apresentou a Jesus uma excelente pergunta: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Como alguns dizem, esta é uma pergunta de um milhão de dólares, ou, a pergunta que vale a eternidade. Nem todos somos capazes de apresentar perguntas tão relevantes, nem sempre percebemos as oportunidades. Alguns, ao apresentar sua pergunta, ou já têm uma verdade dentro de si e não ouvem a resposta dada, ou já entregaram seu coração para outro dono.

O tempo sempre foi um grande mistério e fonte de angústia para o ser humano. Sentimos seus efeitos todos os dias: perdemos o vigor, nossa pele murcha, nossos músculos caem, as rugas surgem e os cabelos embranquecem. Diante da evidência da morte, surge a angústia, o pavor daquela, como a Bíblia diz, que é nossa inimiga. A verdade é que Deus nos criou para a eternidade. Como escreveu Salomão, o Criador gravou a eternidade em nosso coração: “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim.” (Eclesiastes 3:11).

“Que farei para herdar a vida eterna?” O que está por trás do questionamento do jovem rico é o medo universal, a angústia de todos nós: o medo da morte. Não fomos criados para a morte, nosso destino é a eternidade. A morte entrou na história como resultado de nossa escolha, como consequência da desobediência a uma ordem clara e direta de Deus: “Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.” (Romanos 5:12). A pena determinada para o pecador é a morte e, como já foi dito pelo apóstolo, todos pecamos, por isso estamos todos debaixo de condenação: “O salário do pecado é a morte!”

Por ser misericordioso, Deus nos proveu o escape, nos ofereceu a salvação, por meio de seu Filho, o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo: “Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida. Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos.” (Romanos 5:18,19).

Naquele dia, o jovem rico foi buscar a salvação no lugar certo, com a pessoa certa e com a pergunta certa, mas não a recebeu, pois seu coração havia sido entregue a outro senhor: “Mas, ouvindo ele isto, ficou muito triste, porque era muito rico”.

Em outro lugar e tempo, em circunstâncias diferentes, a mesma pergunta, “O que devo fazer para ser salvo”, foi apresentada pelo carcereiro a Paulo e Silas, após Paulo impedi-lo de se matar. Quando ouviram a pergunta, imediatamente Paulo e Silas “Responderam-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa.” (Atos 16:31). Diferentemente do jovem rico, o carcereiro não desperdiçou a oportunidade: “Naquela mesma hora da noite, cuidando deles, lavou-lhes os vergões dos açoites. A seguir, foi ele batizado, e todos os seus. Então, levando-os para a sua própria casa, lhes pôs a mesa; e, com todos os seus, manifestava grande alegria, por terem crido em Deus.” (Atos 16:33,34).

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…