2
2

SENHOR DE TODOS

“Portanto, assim diz o Senhor dos Exércitos: Visto que não escutastes as minhas palavras, eis que mandarei buscar todas as tribos do Norte, diz o Senhor, como também a Nabucodonosor, rei da Babilônia, meu servo, e os trarei contra esta terra, contra os seus moradores e contra todas estas nações em redor.” (Jeremias 25:8,9).

Bom dia!

Muitas vezes ficamos angustiados e nos sentimos impotentes a respeito das ações e das atitudes dos poderosos da terra. O que podemos fazer? Será que Deus perdeu o controle? Será que eles podem fazer o que quiser sem prestar contas a ninguém?

No ano 722 a.C., após advertir diversas vezes seu povo por meio de todos os profetas (2 Reis 17:13,14), Deus permitiu que Israel fosse invadido pela Assíria. Naquele tempo, Israel estava dividido em dois reinos. O reino de Israel, também conhecido como reino do Norte, possuía dez tribos, e o reino do Sul, conhecido como reino de Judá, possuía duas tribos. Como resultado da invasão, as dez tribos do Norte foram espalhadas por todo o mundo conhecido.

Pouco mais de um século depois, pelos mesmos motivos, tendo feito as mesmas advertências, Deus permitiu que a Babilônia invadisse, saqueasse e destruísse Jerusalém, em 586 a.C. Sob o governo de Nabucodonosor, os babilônios destruíram o templo, despojaram todos os utensílios, levaram o povo para o cativeiro e deixaram a cidade arruinada e, praticamente, despovoada.

Em 539 a.C., Ciro, rei da Pérsia, emitiu um decreto que permitia aos judeus retornar para Jerusalém, especificamente para edificar a Casa do Senhor: “Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O Senhor, Deus dos céus, me deu todos os reinos da terra e me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém de Judá. Quem dentre vós é, de todo o seu povo, seja seu Deus com ele, e suba a Jerusalém de Judá e edifique a Casa do Senhor, Deus de Israel; ele é o Deus que habita em Jerusalém.” (Esdras 1:2,3).

Após o decreto de Ciro, três grandes grupos de judeus retornaram, em momentos diferentes, do exílio para Jerusalém: o primeiro e maior grupo subiu sob a liderança de Zorobabel. Aqueles que retornaram edificaram suas casas no entorno de Jerusalém e iniciaram a reconstrução do Templo. Por enfrentar muita oposição e por relaxamento, gastaram mais de vinte anos na tarefa de reedificar o Templo.

O segundo grupo, cerca de duas mil famílias, subiu em 558 a.C. sob a liderança de Esdras, que era escriba e sacerdote. Esdras encontrou o Templo reconstruído, mas a vida espiritual estava arruinada e os moradores estavam a repetir os pecados que provocaram o exílio. Esdras confrontou seus pecados e os chamou ao arrependimento.

Neemias subiu com o terceiro grupo em 445 a.C. para reconstruir os muros e as portas de Jerusalém, cerca de um século após o decreto de Ciro e cento e quarenta anos após a destruição da cidade pela Babilônia. Por cento e quarenta anos os muros permaneceram derrubados e as portas queimadas. Durante todo esse tempo, a cidade teve magistrados, sacerdotes e nobres, porém, por alguma razão, eles não conseguiram ou não se importaram com o Templo, com a vida espiritual e com a proteção da cidade.

Deus não surpreendeu seu povo. Durante anos e anos, Ele enviou todos os seus profetas para adverti-los e chamá-los ao arrependimento, mas eles não lhes deram ouvidos. Deus não trai, não abandona, não foge, não mente, nem muda. Ele ainda age da mesma maneira e envia seus profetas na terra para advertir as pessoas e convocá-las ao arrependimento.

Deus tem o controle total da história. O coração dos reis está em suas mãos: “Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do Senhor; este, segundo o seu querer, o inclina.” (Provérbios 21:1). Deus, no momento oportuno, moveu os corações de Nabucodonosor, Ciro e Artaxerxes para executar sua vontade. Surpreendentemente, Deus os tratava como seus servos, pois todos estavam debaixo de sua autoridade e poder.

Deus não trai, não abandona, não foge, não mente, nem muda, Ele ainda reina, soberanamente, sobre tudo e sobre todos. Ricos e pobres, pretos e brancos, humildes e soberbos, senhores e servos, todos estão debaixo de sua autoridade e poder. Portanto, não devemos desanimar, nem desistir, quando assistimos os poderosos agir na terra como se não houvesse Deus, “Porque o Dia do Senhor dos Exércitos será contra todo soberbo e altivo e contra todo aquele que se exalta, para que seja abatido.” (Isaías 2:12).

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…