2
2

SANTIDADE, SABEDORIA E PODER

(Primeira Parte)

“Tu fazes rebentar fontes no vale, cujas águas correm entre os montes; dão de beber a todos os animais do campo; os jumentos selvagens matam a sua sede. Junto delas têm as aves do céu o seu pouso e, por entre a ramagem, desferem o seu canto. Do alto de tua morada, regas os montes; a terra farta-se do fruto de tuas obras. Fazes crescer a relva para os animais e as plantas, para o serviço do homem, de sorte que da terra tire o seu pão, o vinho, que alegra o coração do homem, o azeite, que lhe dá brilho ao rosto, e o alimento, que lhe sustém as forças. Avigoram-se as árvores do Senhor e os cedros do Líbano que ele plantou, em que as aves fazem seus ninhos; quanto à cegonha, a sua casa é nos ciprestes. Os altos montes são das cabras montesinhas, e as rochas, o refúgio dos arganazes. Fez a lua para marcar o tempo; o sol conhece a hora do seu ocaso. Dispões as trevas, e vem a noite, na qual vagueiam os animais da selva. Os leõezinhos rugem pela presa e buscam de Deus o sustento; em vindo o sol, eles se recolhem e se acomodam nos seus covis. Sai o homem para o seu trabalho e para o seu encargo até à tarde. Que variedade, Senhor, nas tuas obras! Todas com sabedoria as fizeste; cheia está a terra das tuas riquezas.” (Salmos 104:10-24).

Bom dia!

Nesse lindo salmo, o rei Davi, com beleza e graça, nos apresenta a providência de Deus que tudo criou e sustenta com santidade, sabedoria e poder.[1]

Em um passado recente, era relativamente comum, diante das adversidades, ouvirmos os mais velhos consolarem-se uns aos outros a dizer que era a providência de Deus. Da mesma forma, na providência eles buscavam esperança e força para enfrentar suas dificuldades. Por viver dentro de uma visão de mundo que garantia que Deus governa tudo com santidade, sabedoria e poder, eles suportavam mais as aflições e se consolavam.

Infelizmente, a ideia da providência desapareceu quase completamente de nossa cultura. Em sua solidão, a humanidade desenvolveu a ideia de que tudo acontece de acordo com causas naturais fixas ou como consequência direta da ação humana. Deus estaria fora desta equação. Caso existisse, estaria muito acima e além de tudo, alheio aos moveres humanos.

No decorrer de sua história, os cristãos sempre creram que Deus criou e sustenta todas as coisas. Ele não criou e abandonou, criou e sustenta. Foi o que Paulo disse: “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Romanos 8:28). Em sua reflexão, o apóstolo apresenta seus questionamentos: “Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? (Romanos 8:31).

Paulo está a discutir e apresentar a ideia que está por trás da providência, isto é, o entendimento de que Deus é por seu povo e, nada, nem ninguém pode impedir seu amor e cuidado por nós, nada pode nos separar de seu amor. No Evangelho de Mateus, Jesus encoraja seus discípulos a seguir em frente, confiados no cuidado do Pai Celestial: “Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai. E, quanto a vós outros, até os cabelos todos da cabeça estão contados.” (Mateus 10:29,30).

Davi em suas orações, Paulo em suas instruções, Jesus em seu encorajamento, na verdade, toda a Escritura Sagrada nos ensina a verdade que Deus Todo-poderoso, não apenas criou todas as coisas, mas as sustenta com sua santidade, sabedoria e poder. Nossos pais, em sua simplicidade e sabedoria, compreendiam essa verdade e, por essa razão, se consolavam mais facilmente, encontravam sentido na vida e no sofrimento e eram fortalecidos na esperança.

Nossa cultura secularizada tem sido bombardeada pela ideia de que a natureza age de acordo com leis fixas e independentes, como se o universo fosse uma máquina. Porém, a Bíblia ensina que não poderia haver um universo sem um ato deliberado, inteligente e intencional de Deus que, ao criar todas as coisas, não saiu de cena, nem abandonou a criação. Deus é Deus presente, Ele é Deus conosco.

__________
[1] PERGUNTA 11: Quais são as obras da providência de Deus? RESPOSTA: As obras da providência de Deus são a sua maneira muita santa, sábia e poderosa de preservar e governar todas as suas criaturas e todas as ações delas.

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…