2
2

PARA USUFRUIR DAS PROMESSAS

“E que envie ele o Cristo, que já vos foi designado, Jesus, ao qual é necessário que o céu receba até aos tempos da restauração de todas as coisas, de que Deus falou por boca dos seus santos profetas desde a antiguidade.” (Atos 3:20b,21).

Bom dia!

Para confirmar, dar peso e legitimidade a seu discurso, Pedro invocou o testemunho dos profetas, mormente aqueles que são mais caros a seu povo: Abraão, Moisés e Davi. Jesus Cristo é o cumprimento das profecias feitas a Abraão, Moisés e Davi, Pedro lhes afirma. São chegados os tempos de refrigério.

É nele que são benditas todas as nações da terra, como anunciado a Abraão. Ele é o profeta semelhante a Moisés. É o Rei cujo reinado não terá fim, o descendente de Davi. Paulo afirma, claramente, à Igreja da Galácia: “Ora, as promessas foram feitas a Abraão e ao seu descendente. Não diz: E aos descendentes, como se falando de muitos, porém como de um só: E ao teu descendente, que é Cristo.” (Gálatas 3:16).

Duas observações podem ser feitas sobre essa parte do discurso de Pedro: a primeira diz respeito ao controle que Deus tem sobre a história. As profecias, as promessas e as declarações feitas a respeito de Jesus remontam mais de dois mil anos antes de seu nascimento. A segunda, consequência da primeira, é que Deus não pode ser surpreendido. Ele conhece todas as coisas, Ele é o Alfa e o Ômega.

Sobre esse assombroso conhecimento, o Salmista disse: “Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.” (Salmo 138:16).

Deus conhece todos os nossos dias e tem domínio sobre tudo. Até mesmo aquilo que parece derrota, como a morte de Jesus na cruz, faz parte do plano maior de Deus, que não conhece derrota. Nele todos estamos seguros. Foi com essa convicção que Abraão se dispôs à obediência radical, pois sabia que Deus era poderoso para ressuscitar seu único e amado filho:

“Pela fé, Abraão, quando posto à prova, ofereceu Isaque; estava mesmo para sacrificar o seu unigênito aquele que acolheu alegremente as promessas, a quem se tinha dito: Em Isaque será chamada a tua descendência; porque considerou que Deus era poderoso até para ressuscitá-lo dentre os mortos, de onde também, figuradamente, o recobrou.” (Hebreus 11:17-19).

Este é, portanto, o tempo de se apropriar, pela fé, e de se usufruir das promessas de Deus. Infelizmente, muitos dos ouvintes dos apóstolos rejeitaram o apelo e perderam a grande oportunidade e bênção. Na verdade, o próprio Jesus chorou sobre Jerusalém em razão de sua atitude em relação às promessas de Deus: “Pois sobre ti virão dias em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras e, por todos os lados, te apertarão o cerco; e te arrasarão e aos teus filhos dentro de ti; não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não reconheceste a oportunidade da tua visitação.” (Lucas 19:43,44).

Talvez você fique surpreso e até mesmo indignado ao meditar sobre a atitude dos ouvintes de Jesus e dos apóstolos, porém, a mesma mensagem e o mesmo apelo têm sido apresentados, século após século pelos discípulos de Jesus e os ouvintes, surpreendentemente, repetem a mesma atitude e desprezam a oferta amorosa de Deus.

Chegou o tempo de você usufruir, pela fé, das promessas de Deus, tempos de refrigério, mas você precisará escolher entre Deus e o mundo. As promessas não cairão, automaticamente, sobre sua cabeça. Você precisa fazer sua escolha: “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, amando o Senhor, teu Deus, dando ouvidos à sua voz e apegando-te a ele; pois disto depende a tua vida e a tua longevidade.” (Deuteronômio 30:19,20).

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…