2
2

PARA A GLÓRIA DE DEUS

“Depois, ameaçando-os mais ainda, os soltaram, não tendo achado como os castigar, por causa do povo, porque todos glorificavam a Deus pelo que acontecera.” (Atos 4:21).

Bom dia!

Hoje pela manhã, após nosso culto no Hospital Militar, meu irmão, Capitão Maurício, comentou a respeito da beleza de uma planta cheia de flores que estava ali, bem pertinho de nós, a declarar, permanentemente, a glória de Deus com seu esplendor e beleza. De fato, como disse o rei Davi, a criação declara a glória do Criador: “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos.” (Salmos 19:1).

Estamos todos cercados pela glória de Deus, porém, nem sempre nos damos conta disso, nem sempre lhe tributamos a glória devida. Seria muito bom se todos fizessemos alguma coisa que levasse as pessoas que estão perto de nós a glorificar a Deus. Encontramos na Bíblia, em algumas apresentações de textos, a palavra “doxologia.” Em geral, doxologia é um hino, uma oração ou um texto em que se glorifica a grandeza e a majestade de Deus.

Uma das doxologias mais lindas que existe foi feita pelo Apóstolo Paulo ao encerrar a primeira parte da Carta aos Romanos: “Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Quem, pois, conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi o seu conselheiro? Ou quem primeiro deu a ele para que lhe venha a ser restituído? Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!” (Romanos 11:33-36).

O último capítulo do livro de Salmos é uma doxologia e um convite para louvar a Deus: “Aleluia! Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento, obra do seu poder. Louvai-o pelos seus poderosos feitos; louvai-o consoante a sua muita grandeza.” (Salmos 150:1,2).

As pessoas que testemunharam a cura do coxo de nascença e que presenciaram a atitude ousada dos Apóstolos frente ao Sinédrio, glorificaram a Deus pelo que haviam visto. Normalmente nos comportamos de maneira diferente quando presenciamos algo extraordinário. Nossa tendência é louvar a criatura, nossa inclinação é aplaudir o homem.

Infelizmente, isso acontece com frequência na Igreja com pregadores ou cantores, por exemplo. Tocadas pela mensagem, as pessoas glorificam o homem e ignoram a Deus. Os pregadores e cantores, por sua vez, correm sempre o risco de não transferir a glória para Deus e passam a gostar e até a sentir falta daquela louvação.

Considerado um gênio da música, o compositor Johann Sebastian Bach (1685 – 1750), um cristão fervoroso, assinava todas suas partituras com a frase “Soli Deo Gloria” (A Deus toda a glória). Ao falar sobre sua música, Bach disse: “O objetivo e a finalidade maior de toda música não deveria ser outro senão a glória de Deus e o refrigério da alma.”

Pedro, desde o início de seu discurso, alertou seus ouvintes e os direcionou para Deus: “Povo de Israel, por que ficam surpresos com isso?”, disse ele. “Por que olham para nós como se tivéssemos feito este homem andar por nosso próprio poder ou devoção?” (Atos 3:12).

A glória de Deus se manifesta em toda parte. Entretanto, nem sempre é percebida. A glória de Deus está presente em cada ser humano. Cada um de nós, por si só, é uma maravilha, uma criação que glorifica a Deus. Entretanto, nem sempre reconhecemos isso, nem sempre nos lembramos. Além do que somos, tudo o que fazemos deveria ser feito para a glória de Deus.

Pedro e João não tiveram dúvidas, nem tiraram proveito do que aconteceu, pois, o objetivo de suas vidas era glorificar a Deus. E você? Qual é o objetivo de sua vida? Aquilo que você tem feito glorifica a Deus? Sua vida leva pessoas a glorificar a Deus?

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…