2
2

ONDE ESTÃO OS NOVE?

“Ao entrar numa aldeia, saíram-lhe ao encontro dez leprosos, que ficaram de longe e lhe gritaram, dizendo: Jesus, Mestre, compadece-te de nós!” (Lucas 17:12,13).

Bom dia!

Lucas registrou a cura de dez leprosos que se encontraram com Jesus, aparentemente, por acaso. Ao vê-lo, começaram a gritar, pois não podiam se aproximar do Senhor. Em obediência à Lei, os leprosos eram banidos das cidades e tinham a obrigação de se manterem distantes dos outros e anunciar seu mal, gritando: “imundo! Imundo” (Levítico 13:45).

Que grande providência de Deus! Ao encontrarem Jesus, em vez de gritar “imundo”, aqueles que sofriam fizeram sua pequena oração, clamando: “Jesus, Mestre, compadece-te de nós!” Ao ouvi-los, Jesus ordenou-lhes, de conformidade com a Lei, que fossem se mostrar ao sacerdote. Ocorre que a Lei ordenava aos curados que se apresentassem ao sacerdote para que ele os declarasse limpos.

Que grande desafio à fé. Eles olharam para a pele e viram a lepra, mas receberam de Jesus uma palavra de cura; receberam a promessa de cura, não explicitamente declarada, e creram.

Essa situação nos lembra Naamã, o comandante do exército do rei da Síria, o qual possuía grande prestígio com seu rei, porém, era leproso. Ao procurar o profeta Eliseu, Naamã recebeu dele, por meio de um servo, a ordem para mergulhar sete vezes no rio Jordão para ser curado, mas duvidou e ficou indignado.

Naamã disse aos seus oficiais: “Pensava eu que ele sairia a ter comigo, pôr-se-ia de pé, invocaria o nome do Senhor, seu Deus, moveria a mão sobre o lugar da lepra e restauraria o leproso.” (2 Reis 5:11). Nós somos assim mesmo, gostamos da religião, dos mistérios e da liturgia; ficamos indignados ao ver alguém tratar o Senhor com intimidade.

Diferentemente de Naamã, os dez leprosos não acharam a resposta de Jesus estranha, apenas obedeceram e, enquanto seguiam, foram curados. Não é possível um relacionamento eficaz com Jesus sem crer nele. De fato, como ensina a Escritura Sagrada, sem fé é impossível agradar a Deus (Hebreus 11:6). Aquele que duvida não alcançará de Deus coisa alguma (Tiago 1:7). Os leprosos tiveram o elevado mérito de crer sem ver. Não houve liturgia, ritos e performances, apenas a Palavra do Senhor.

Porém, não basta orar e pedir. Aquele que alcança a graça deve retornar ao Senhor em ação de graças. Por essa razão, Lucas registrou que: “Um deles, quando viu que estava curado, voltou, louvando a Deus em alta voz. Prostrou-se aos pés de Jesus e lhe agradeceu. Este era samaritano. Jesus perguntou: “Não foram purificados todos os dez? Onde estão os outros nove?” (Lucas 17:15-17).

Este extraordinário evento teve um fim surpreendente. Não se trata de uma parábola, mas de um fato real. Jesus foi surpreendido por dez leprosos, nove judeus e um samaritano, iguais em sua tragédia, mas diferentes em suas atitudes. Tendo clamado por misericórdia, receberam de Jesus uma ordem (não uma cura), mas com ousadia e fé obedeceram e foram se apresentar ao sacerdote, mesmo sem verem o milagre da cura.

Ao obedecerem, a bênção veio sobre eles e foram todos, imediatamente, curados. Imagine a alegria! Aqueles que eram imundos, agora estavam limpos dependendo apenas de receber a declaração do sacerdote em cumprimento da Lei para retomarem plenamente suas vidas interrompidas pela tragédia.

Como Jesus lhes ordenou que se mostrassem ao sacerdote, eles obedeceram e foram. Embora todos se apressassem para serem declarados limpos e, assim, retomarem suas vidas, um deles não seguiu a maioria e agiu diferente. Sua alegria era tamanha que ele gritava pelas ruas: GLÓRIA A DEUS! Há poucos minutos, ele estava se escondendo de todos e gritando “IMUNDO”, mas Deus mudou sua sorte e o tirou do vexame, o tirou das trevas.

Glorificando a Deus, ele se prostrou aos pés de Jesus para agradecer e o Senhor observou que ele era samaritano: “Não houve, porventura, quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro?” (Lucas 17:18).

Embora considerasse importante obedecer e devido a sua atitude tenha recebido a cura, o samaritano compreendeu que havia algo mais importante para fazer naquele momento do que retomar a sua vida. Por causa de sua atitude, Jesus lhe deu, além da cura do corpo, a salvação: “Levanta-te e vai; a tua fé te salvou” (Lucas 17:19). Jesus não deseja apenas nos dar coisas, Ele quer nos dar vida eterna. Jesus quer nos salvar.

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…