2
2

O PACTO DA GRAÇA

“Quando, porém, se manifestou a benignidade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com todos, não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador, a fim de que, justificados por graça, nos tornemos seus herdeiros, segundo a esperança da vida eterna.” (Tito 3:4-7).

Bom dia!

Reunidos na Abadia de Westminster, os teólogos se depararam com uma importante questão: “Deus deixou todo o gênero humano perecer no seu estado de pecado e miséria?[1]” Sabemos que o ser humano não foi criado neste estado. A Escritura nos mostra que o homem, criado por Deus em um estado de inocência, caiu, em razão de sua desobediência, em um estado de pecado e miséria do qual não é capaz, por si só, de se libertar. Por mais que lute, o homem, por seu poder, não consegue escapar da condenação: “O salário do pecado é a morte.” (Romanos 6:23).

Ao longo de sua história, a Igreja tem se debatido para encontrar uma boa resposta para essa pergunta e, da mesma forma, tem apresentado respostas diferentes. Não há controvérsia, entretanto, no que diz respeito à degradação humana, seu estado de pecado e miséria e sua incapacidade para livrar-se.

Uma vez que o ser humano não atende às exigências de justiça estabelecidas por Deus, nosso Pai escolheu, por sua misericórdia, salvar a humanidade da condenação eterna e providenciou um Redentor que satisfizesse seus requerimentos de justiça. Este foi o testemunho de João Batista quando estava a realizar o batismo de arrependimento e encontrou-se com Jesus: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (João 1:29).

Uma vez que o Redentor tomou sobre si nossos pecados e satisfez a justiça de Deus, os benefícios dessa satisfação são dados, gratuitamente, a todos aqueles que, pela fé, estendendo as mãos vazias, os recebem. Como está escrito, “Pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie.” (Efésios 2:8,9).

Sob a primeira aliança, a vida eterna foi oferecida sobre o fundamento da perfeita e perpétua obediência à Lei de Deus. Uma vez que o pecado impede a obediência perfeita e perpétua, a humanidade estava destinada a perecer em seu estado de pecado e miséria. Para solucionar o dilema e oferecer redenção ao homem, Deus propôs o Pacto da Graça em substituição ao Pacto das Obras. Em Cristo, a humanidade cumpre o Pacto das Obras e oferece perfeita e perpétua obediência a Deus que, por meio da graça, oferece a salvação: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16).

Para Sproul (2017), há muita controvérsia e discussão em razão daquele que é chamado pelos estudiosos de decreto de eleição. Calvino, um dos principais defensores da doutrina da predestinação, disse que essa é uma doutrina tão misteriosa que precisa ser tratada com cuidado e humildade, pois pode ser, facilmente, distorcida ao ponto de obscurecer a integridade de Deus.

Embora a doutrina da eleição e da reprovação produza tanto debate entre os teólogos, o fato mais importante e inconteste é que Deus, por sua graça e misericórdia, por meio de seu Filho Jesus Cristo, que atendeu perfeitamente suas exigências, nos oferece, gratuitamente, o escape. Em Cristo, somos reconciliados com Deus: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus.” (Romanos 5:1,2).

Deus deixou todo o gênero humano perecer no estado de pecado e miséria? Não. Louvado seja Deus, não. Para nos livrar de nosso estado de pecado e miséria e nos levar a um estado de salvação, Deus proveu para si o Cordeiro, Deus nos deu o Redentor.

______

[1] PERGUNTA 20: Deus deixou todo o gênero humano perecer no estado de pecado e miséria? RESPOSTA: Tendo Deus, unicamente pela sua boa vontade, desde toda a eternidade, escolhido alguns para a vida eterna, entrou com eles em um pacto de graça, para livrá-los do estado de pecado e miséria e levá-los a um estado de salvação, por meio de um Redentor.

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…