2
2

O MISTÉRIO DA TRINDADE

“A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós.” (2 Coríntios 13:13).

Bom dia!

A primeira geração de discípulos de Jesus enfrentou poucos desafios no que diz respeito à formulação das doutrinas da fé e os problemas que surgiram foram tratados pelos apóstolos com orientações que fizeram surgir o Novo Testamento. Diversas cartas nasceram da necessidade de corrigir erros e orientar as diversas comunidades espalhadas pelas cidades.

Dois fatos determinaram o surgimento daquilo que conhecemos hoje em dia como Doutrina Cristã: De um lado, o crescimento da Igreja e o surgimento de interpretações incorretas do ensino e das pessoas de Jesus Cristo e do Espírito Santo. Do outro, a conversão de diversos filósofos ao cristianismo. Estes últimos, tanto fizeram surgir heresias, doutrinas erradas, como se empenharam na apologia, ou seja, na defesa da fé.

Assim como os israelitas, os cristãos são monoteístas e não rejeitaram o ensino do Antigo Testamento declarado no Shemá: “Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único Senhor.” (Deuteronômio 6:4). O Novo Testamento, entretanto, mostra a chegada de Emanuel, Deus conosco, e declara, abertamente, que Jesus Cristo é Deus.

Em sua carta aos Coríntios, Paulo, ao orientar a Igreja a respeito dos ídolos, se refere a Jesus Cristo como Deus: “Todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós também, por ele.” (1 Coríntios 8:6).

Encontramos a referência mais clara da divindade de Jesus no Evangelho de João: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” (João 1:1). Após essa afirmação, João declara que todas as coisas foram feitas por Jesus. Dessa forma, a eternidade, o poder e a autoexistência são atribuídos a Jesus: “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.” (João 1:3).

Em Hebreus, vemos Cristo descrito como Filho de Deus e como o agente da criação. O Filho de Deus é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, referência clara à deidade de Cristo: “Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas.” (Hebreus 1:3).

O Novo Testamento também afirma que o Espírito Santo é Deus. Isso pode ser visto na instrução que Jesus deu a seus discípulos sobre o batismo: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.” (Mateus 28:19). E na saudação tradicional de Paulo: “A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós.” (2 Coríntios 13:13).

O Catecismo Nova Cidade apresenta seu estudo a respeito da Trindade com a questão: “Quantas pessoas existem em Deus?” E responde: “Existem três pessoas no único Deus vivo e verdadeiro: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. São os mesmos em substância, iguais em poder e glória.” Para o comentarista, existem sete declarações que compõe a doutrina da Trindade: “Deus é um. Há um só Deus. O Pai é Deus. O Filho é Deus. O Espírito Santo é Deus. O Pai não é o Filho. O Filho não é o Espírito. O Espírito não é o Pai.” (DEYOUNG, 2017).

Não é fácil entender a doutrina da Trindade, talvez nem seja possível para a limitada mente humana. Segundo o teólogo reformado Sproul (2017), “A fórmula cristã para expressar a Trindade – Deus é uma essência em três pessoas – pode parecer contraditória, porque estamos acostumados a ver um ser como uma pessoa. Não podemos conceber como um ser poderia ser contido em três pessoas e, apesar disso, ser um único ser. Assim, a doutrina da Trindade nesta formulação é misteriosa; leva a mente a pensar num ser que é totalmente um em sua essência, mas três em pessoa.”

Qual a importância prática de tudo isso? Para dizer apenas uma delas, saber quem é Jesus é fundamental para a vida cristã, pois uma das maneiras mais eficazes de identificar se determinada crença ou religião é cristã, é perguntar pela identidade de Jesus, quem é Jesus, pois, para os cristãos não há dúvidas: Jesus Cristo é Deus, o mesmo valendo para o Espírito Santo.

REFERÊNCIAS

HANSEN, Collin. Org. Catecismo Nova Cidade: A verdade de Deus para nossos corações e mentes. São José dos Campos: Editora Fiel, 2017. Edição do Kindle.

SPROUL, R. C. O que é a Trindade? São José dos Campos: Editora Fiel, 2013. Edição do Kindle

SPROUL, R. C. Somos todos teólogos: uma introdução à Teologia Sistemática. São José dos Campos: Editora Fiel, 2017. Edição do Kindle

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…