2
2

NÃO ENDUREÇA SEU CORAÇÃO

“Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? Como está escrito: Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo, fomos considerados como ovelhas para o matadouro.” (Romanos 8:35,36).

Bom dia!

A Bíblia relata a história de Jó, “homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal.” (Jó 1:1). Sua vida destrói os argumentos daqueles que afirmam que o sofrimento é consequência de pecado, castigo ou necessário para a evolução, pois Jó era íntegro e reto. Por outro lado, seu sofrimento desperta um antigo questionamento: Por que o justo sofre?

O fato é que sendo justo e temente a Deus, ele experimentou o mais extremo sofrimento sem uma causa ou justificativa evidente, tanto para ele, como para sua esposa e amigos. Jó sabia que era inocente e, mais, sabia que Deus o tinha por inocente e, mesmo sem compreender, manteve-se íntegro e temente a Deus até o fim.

Paulo afirmou aos Romanos que nada pode nos separar do amor de Deus e, quando fez essa declaração, não o fez abstratamente, pois Paulo experimentou prisões, açoites, perigos de morte e sofrimentos terríveis, mas não se afastou de Deus: “Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um. Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo; em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmãos.” (2 Coríntios 11:24-26).

Seu testemunho é verdadeiro e sua instrução é fruto de sua vivência. Por isso, Paulo está credenciado para dizer que não há nada neste mundo que possa nos separar do amor de Deus, que nos é dado em Jesus Cristo.

É importante ressaltar que não é o nosso amor por Ele, pois o mérito não é nosso. Deus, mesmo em nossas fraquezas e infidelidades, continua a nos amar. Ele é fiel: “Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo.” (2 Timóteo 2:13).

Jó e Paulo não foram os únicos que experimentaram sofrimento em razão de seu amor por Deus e por testemunhar a respeito de Jesus Cristo. Essa história, que terminará um dia quando Deus enxugará toda lágrima, ainda não terminou. Ao longo de toda a trajetória da Igreja, os discípulos de Jesus experimentaram tribulação, angústia e perseguição, mas nada disso pode nos separar do amor de Deus. Muitos experimentaram até a morte por causa de sua fé, mas nem a morte é capaz de nos separar do amor de Deus.

O sofrimento sempre foi parte da experiência daqueles que amam a Deus, porém, o sofrimento é uma experiência daquele que está vivo. O sofrimento é uma vivência universal e democrática: judeus e gentios, ricos e pobres, pretos e brancos, justos e injustos sofrem e a pandemia mostra isso claramente. No limite da potência humana, sabedoria, ciência, dinheiro ou qualquer outra valência perde a eficácia. Jó estava nas mãos de Deus, Paulo estava nas mãos de Deus, nós estamos nas mãos de Deus.

Nós os crentes, entretanto, temos o consolo das Escrituras e a esperança certa de que Deus sempre vence e nos faz mais do que vencedores. É necessário, entretanto, olhar as coisas com a perspectiva eterna, pois, mesmo quando parece que fomos derrotados, se estamos em Cristo, somos mais do que vencedores. Por essa razão, o melhor tratamento precoce é acertar sua vida com Deus, pois todos temos um destino eterno. Como diz a Escritura, “Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração.” (Hebreus 3:15).

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…