2
2

IGNORANTES E INTOLERANTES

“Eles, porém, clamando em alta voz, taparam os ouvidos e, unânimes, arremeteram contra ele. E, lançando-o fora da cidade, o apedrejaram. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo.” (Atos 7:57,58).
Bom dia!
Lucas foi um companheiro fiel de Paulo que o chamava de “médico amado” (Colossenses 4:14). Ao fazer sua investigação para escrever seus livros, Lucas deve ter ouvido, diretamente de Paulo, o relato sobre o martírio de Estevão. Estevão foi o primeiro de centenas de milhares, talvez milhões, de cristãos que testemunharam com a própria vida e receberam a palma do martírio.
A história da Igreja registra que muitas pessoas negaram sua fé instigadas pelos perseguidores, mas são incontáveis os relatos daqueles que deram o testemunho com a própria vida.
Saulo era um jovem fariseu dedicado que temia a Deus e desejava muito servi-lo, mas estava enganado, lutando contra Deus. Saulo fazia isso mesmo advertido por seu mestre Gamaliel: “Agora, vos digo: dai de mão a estes homens, deixai-os; porque, se este conselho ou esta obra vem de homens, perecerá; mas, se é de Deus, não podereis destruí-los, para que não sejais, porventura, achados lutando contra Deus. E concordaram com ele.” (Atos 5:38,39).
No julgamento de Jesus, quando Pilatos, por quatro vezes, declarou sua inocência e tentou libertá-lo, seus acusadores disseram: “Que o sangue dele caia sobre nós e sobre nossos filhos.” (Mateus 27:25).
No julgamento de Estevão, Paulo, que era uma pessoa brilhante, certamente percebeu que foi com testemunhas subornadas que se fez a acusação. Provavelmente, quando aquelas mesmas testemunhas deixaram as roupas de Estevão aos seus pés, Saulo foi impactado.
Ainda existem muitas pessoas como Saulo. Homens e mulheres que amam a Deus, são zelosos e querem servi-lo, porém, aprisionados em suas tradições e preconceitos, perseguem os discípulos de Jesus e lutam contra Deus.
Muitas pessoas “aprisionam” Deus dentro de seus preconceitos e lutam, furiosamente, contra tudo que é diferente, que está fora de sua caixinha, de sua forma de ver o mundo. Muitas delas nunca leram as Escrituras Sagradas, nem se esforçam para compreendê-las. São escravos de sofismas e estão abrigados em suas fortalezas. Cuidado, pois, aquilo que parece segurança é, na verdade, uma prisão.
Além desses zelosos ignorantes, existem os intolerantes, aqueles que são reprovados pelo elevado padrão moral do Evangelho e não suportam apenas ignorá-lo, querem destruí-lo. Os que são como Saulo, zelosos e ignorantes, Deus pode, por sua misericórdia, nos caminhos da vida, jogá-los ao chão e mostrá-los o quanto importa sofrer pelo Evangelho. Os intolerantes e perseguidores também têm um encontro reservado com Deus. Existe um lugar especial preparado para eles.
Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…