2
2

“Saulo, respirando ainda ameaças e morte contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote e lhe pediu cartas para as sinagogas de Damasco, a fim de que, caso achasse alguns que eram do Caminho, assim homens como mulheres, os levasse presos para Jerusalém.” (Atos 9:1,2).

Bom dia!

Poucos personagens da Bíblia têm sua conversão narrada em detalhes. Os Evangelhos mostram o chamado de alguns Apóstolos, mas não entram em muitos detalhes. Lucas dedica um bom espaço do livro de Atos para apresentar Saulo e narrar seu processo de conversão, o que evidencia a importância dele na história da Igreja.

Saulo era uma pessoa preparada para o mundo, não apenas para a sua pequena Tarso. Era judeu, estudou com um dos maiores rabinos de sua época, herdou a cidadania romana de seu pai, conhecia a filosofia grega e falava diversos idiomas.

Por todas essas competências, Saulo possuía o perfil necessário para a internacionalização da mensagem do Evangelho. Estava apto e legitimado para transitar do mundo judaico para o mundo dos gentios.

Há, entretanto, uma característica maior e mais fundamental: Saulo amava a Deus e estava disposto a fazer qualquer coisa para servi-lo, até mesmo respirar ameaças e mortes. Alguém pode até estranhar uma personalidade assim, porém, mesmo atualmente, encontramos muitas pessoas como Saulo: homens e mulheres com um fervor religioso tão grande que são capazes de se explodir por aquilo que creem.

Lucas, que já havia mencionado Saulo a testemunhar e aprovar a lapidação de Estevão, agora retornou a ele começando por dizer que Saulo respirava ameaças e morte contra os discípulos de Jesus. Ao ouvir essa descrição, é possível imaginar alguém ardendo em ódio, incapaz de controlar suas emoções de tanta ira, com sede de sangue e exalando maldade.

Quando olho para Saulo sempre reflito em como podemos estar completamente errados, mas, com a certeza de estarmos certos. E, para piorar, nesse nosso engano, sermos capazes de cometer enormes erros e injustiças.

Podemos incorrer no erro por diversas razões: ao interpretar mal um texto e tirar conclusões erradas, errar por ignorância e por desconhecimento. Podemos, também, errar por dolo, sabendo que uma coisa é ou está errada e, assim mesmo, fazê-la.

Saulo, apesar de toda a sua preparação, era ignorante. Em seu zelo pela verdade, servia a mentira; seu amor por Deus era, na verdade, ódio. Por essa razão, Saulo respirava ameaças, mas nem mesmo percebia.

Precisamos ter cuidado para que o nosso amor por Deus não seja ódio; que nosso zelo pela religião não seja erro e que nossa verdade não seja preconceito.

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…