2
2

EM TODO TEMPO E LUGAR

“Voltou Jesus a ensinar à beira-mar. E reuniu-se numerosa multidão a ele, de modo que entrou num barco, onde se assentou, afastando-se da praia. E todo o povo estava à beira-mar, na praia. Assim, lhes ensinava muitas coisas por parábolas, no decorrer do seu doutrinamento.” (Marcos 4:1,2).

Bom dia!

Certa vez convidei um Oficial da Polícia Militar para participar de um projeto de distribuição de Bíblias para os colegas. Autorizado pelo Comandante-geral da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, seguimos a presentear os amigos com uma Bíblia. Ao receber o convite, aquele Oficial, secamente, me respondeu: “Não misturo meu trabalho com a religião, comandante.” Você escolhe o local para exercer sua fé? Faz questão de separar sua vida profissional de sua vida pessoal?

Muitas pessoas têm uma fé seletiva e sazonal, orientada somente para locais sagrados e dias consagrados. Para Jesus, todo tempo é sagrado, todo lugar é consagrado e, por isso, não interessa se Ele está em casa, na sinagoga ou na rua. Algumas pessoas são bons cristãos, se estão no Templo, mas irreconhecíveis no trabalho ou na rua. No trânsito? Nem me fale.

No capítulo dois, Marcos mostra Jesus a exercer, plenamente, seu ministério em sua casa. Nela, o Senhor mostrou seu poder sobre as enfermidades e sua autoridade para perdoar pecados: “Dias depois, entrou Jesus de novo em Cafarnaum, e logo correu que ele estava em casa. Muitos afluíram para ali, tantos que nem mesmo junto à porta eles achavam lugar; e anunciava-lhes a palavra.” (Marcos 2:1,2).

No capítulo três, Marcos mostra Jesus a exercer seu ministério na sinagoga. Ali nosso Senhor mostra compaixão com o enfermo e indignação com a dureza de coração dos “pastores” responsáveis por guiar Israel: “De novo, entrou Jesus na sinagoga e estava ali um homem que tinha ressequida uma das mãos. E estavam observando a Jesus para ver se o curaria em dia de sábado, a fim de o acusarem.” (Marcos 3:1,2).

Marcos iniciou o capítulo quatro com Jesus a ensinar à beira-mar, na verdade à beira do Mar da Galileia, também conhecido como Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré, que é um grande lago de água doce, portanto, sem a agitação natural dos mares que impossibilitaria uma reunião da forma descrita.

Jesus não tinha tempo, nem lugar para exercer o seu ministério e estava sempre pronto para agir. Para isso o Senhor percorria as cidades curando os enfermos, expulsando os demônios e ensinando as Boas Novas do Reino de Deus. Jesus falou na sinagoga com a aristocracia judaica, os herodianos, os saduceus e os fariseus; debateu com os doutores da Lei e discutiu princípios hermenêuticos, mas foi para a rua e falou com o povo.

Na rua o Senhor falou com os pobres, com as pessoas mais simples de Israel e os Evangelhos nos dizem que Ele falava por parábolas que utilizam contextos, cenários e situações do cotidiano das pessoas simples: pastores, agricultores e pescadores.

As parábolas de Jesus são mensagens poderosas que usam alegorias, algumas delas, às vezes, cifradas. O propósito de Jesus não era promover um debate teológico ou filosófico, mas ensinar de modo tão claro e simples que seus ouvintes entendessem e guardassem seus ensinamentos.

Se você é cristão, lembre-se de manter a coerência no templo, na rua e em casa. Não tenha preguiça, nem vergonha de sua fé e não tenha medo de obedecer a ordem de nosso Senhor: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado.” (Mateus 28:19,20a).

Se você é discípulo de Jesus, não tenha vergonha de testemunhar a tempo e fora de tempo: “Porque qualquer que de mim e das minhas palavras se envergonhar, dele se envergonhará o Filho do Homem, quando vier na sua glória e na do Pai e dos santos anjos.” (Lucas 9:26).

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…