2
2

E EIS QUE ERA MUITO BOM

“No princípio, criou Deus os céus e a terra. A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas. Disse Deus: Haja luz; e houve luz.” (Gênesis 1:1-3).[1]

Bom dia!

Sabemos que o homem pode fazer coisas maravilhosas, tais como, pirâmides, foguetes espaciais, satélites, cirurgia robótica e nano robôs, porém, apenas manipula a natureza e a transforma, o homem não é capaz de criar matéria e, a partir do nada, fazer surgir algo.

O livro de Gênesis, o livro dos começos, em seu primeiro capítulo, narra a criação. Seu primeiro versículo afirma: “No princípio, criou Deus os céus e a terra.” (Gênesis 1:1). No princípio, quando nada havia, Deus criou e o fez a partir do nada. Deus não formou, transformou ou manipulou. A Bíblia declara que Deus criou tudo a partir do nada. Ele disse e tudo veio a ser. Em seu tratado sobre a fé, o autor aos Hebreus escreveu: “Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem.” (Hebreus 11:3).

Somente Deus pode criar algo do nada. Nós, os seres humanos, precisamos de ferramentas para manipular algo que já existe. Deus, entretanto, declara e as coisas passam a existir. A Palavra é seu instrumento: “Disse Deus: Haja luz; e houve luz.” (Gênesis 1:3). Não é uma questão de tempo, nem de combinação, nem de acaso. Se o homem tivesse trilhões de anos disponíveis, não seria capaz de combinar elementos, nem de esperar reações casuais, pois nada existia para ser manipulado ou para reagir em decorrência de combinações.

O relato da criação diz que no princípio, Deus criou, falou e tudo se fez, deu a ordem e tudo veio a existir (Salmos 33:9) e fez tudo em seis dias, no sétimo, descansou. As pessoas discutem se Deus criou todas as coisas em dias de vinte e quatro horas, na forma que conhecemos e contamos o tempo em nosso sistema solar. Porém, ao olhar o texto com um pouco mais de atenção, percebemos que Deus criou o sol e a lua no quarto dia da criação: “Disse também Deus: Haja luzeiros no firmamento dos céus, para fazerem separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais, para estações, para dias e anos. […] Fez Deus os dois grandes luzeiros: o maior para governar o dia, e o menor para governar a noite; e fez também as estrelas.” (Gênesis 1:14 e 16). Logo, os dias da criação não são dias de vinte e quatro horas.

Em cada etapa da criação, na qual Deus criava tudo de acordo com sua espécie, Deus foi preciso ao criar, Ele avaliou o que criou: “E viu Deus que isso era bom.” (Gênesis 1:10). Porém, no sexto dia, ao concluir a criação, o Criador avaliou toda sua obra: “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia.” (Gênesis 1:31).

Tudo era perfeito, tudo estava perfeito, a vida de Deus em sua plenitude na criação. Não havia corrupção, nem morte, nada se desgastava, envelhecia ou adoecia. Não havia pragas, nem espinhos, a vida florescia esplendidamente e resplandecia a glória de Deus. Não é sem motivo que o lugar do homem, sua habitação, foi chamado de Éden, lugar de prazer. A LXX[2] traduziu a palavra Éden como “Jardim das Delícias, o que “levou identificação tradicional do Jardim do Éden com o Paraíso, o que foi bastante apropriado.”[3]

Há alguns dias, após um culto no Hospital, uma pessoa me perguntou: “Por que as pessoas são diferentes? Por que há sofrimento? Por que algumas pessoas têm muito e outras não têm nada?” Estas são perguntas que angustiam muitas pessoas, porém, Deus criou tudo de forma perfeita, ao avaliar a criação disse que tudo era muito bom e colocou o homem para viver em um Jardim de Delícias. Embora sejam perguntas difíceis, a Bíblia nos ajuda a respondê-las.

________

[1] PERGUNTA 9: Qual é a obra da criação? RESPOSTA: A obra da criação é aquela pela qual Deus fez todas as coisas do nada, pela palavra do seu poder, no espaço de seis dias, e tudo muito bem.
[2] LXX – Septuaginta: Tradução da Bíblia Hebraica para o Grego, feita entre os séculos III a.C. e I a.C., em Alexandria.
[3] DICIONÁRIO INTERNACIONAL DE TEOLOGIA DO ANTIGO TESTAMENTO. R. Laird Harris, Org. São Paulo: Vida Nova, 1998, pág. 1079.

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…