2
2

CRER E CONFESSAR

“Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação.” (Romanos 10:9,10).

Bom dia!

Se não é necessário subir ao céu, para trazer Cristo do alto, ou descer ao inferno, para levantar Cristo dentre os mortos (Romanos 10:6,7), o que você deve fazer para receber a salvação pela fé?

Paulo ensina que é necessário fazer a confissão verbal do senhorio de Jesus Cristo, na forma de uma declaração, de um pacto: “Se você declarar com sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dos mortos, será salvo.” (Romanos 10:9).

Os estudiosos creem que as confissões primitivas eram feitas em sentenças simples e curtas: “Jesus é o Cristo” ou “Jesus é o Senhor”. Paulo registrou algumas confissões que eram feitas em seu tempo, uma delas ao escrever aos irmãos de Corinto: “Antes de tudo, vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.” (1 Coríntios 15:3,4).

Aos Romanos, Paulo insiste na necessidade da confissão de Jesus como Senhor. Para a primeira geração de discípulos, não havia dúvidas: Jesus é o Kyrios.

Segundo o Dicionário Strong, a palavra grega Kyrios, traduzida como Senhor, refere-se àquele a quem uma pessoa ou coisa pertence, sobre o qual tem o poder de decisão. Kyrios é o mestre, o senhor. No Estado, diz respeito ao soberano e, especificamente, ao imperador romano. Na Igreja Primitiva, era o título dado a Deus, ao Messias. Aplicada ao governante como senhor de seus súditos, Kyrios faz par linguístico com “doulos”, que significa “escravo”, “servo”.

Naquele tempo, era comum tratar os imperadores romanos com o título “kyrios”, em clara alusão a sua divindade. Dessa forma, confessar “Jesus é o Kyrios” ou “Jesus, nosso Kyrios” trouxe sérios problemas para os primeiros discípulos de Jesus.

Paulo trata Jesus como Kyrios atribuindo-lhe a posição de autoridade acima de todas as outras no céu, na terra e debaixo da terra: “Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.” (Filipenses 2:9-11).

Ao confessar Jesus como o Kyrios, você define quem Ele é, quem é você e qual a forma de relacionamento e aliança entre vocês: “Kyrios-doulos”, Ele é o Senhor, você, o servo.

É preciso, entretanto, que a confissão vá além da formalidade e da simples verbalização. Tiago esclarece que até os demônios confessam que Jesus é o Senhor, porém, não se colocam na posição de servos: “Você crê que existe um só Deus? Muito bem! Até mesmo os demônios creem — e tremem!” (Tiago 2:19).

Portanto, deve haver uma conexão e uma profunda coerência entre aquilo que está em sua boca, o que você confessa, com aquilo que está em seu coração, aquilo que você crê. A confissão pressupõe a fé no Senhor ressuscitado, exaltado e assentado à direita do Pai, pois a ressurreição é prova de que o sacrifício oferecido por Jesus em lugar dos pecadores foi aceito por Deus e a dívida foi paga.

Ao confessar Jesus como Senhor e crer que Deus o ressuscitou dentre os mortos, você recebe, pela fé, a adoção de filho, recebe a graça de Deus oferecida em Cristo, que assume seu lugar na cruz, assume sua morte para que você receba sua vida. Sem ressurreição, não há possibilidade de salvação, pois, “Se Cristo não ressuscitou é vã a nossa fé, e ainda permanecem os nossos pecados.” (1 Coríntios 15:17).

Jesus, nosso Kyrios, é aquele a quem seus discípulos devem considerar Soberano, a quem são obrigados a prestar obediência (obedecer não é uma opção) e a quem devem considerar como o agente único da salvação: “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.” (Atos 4:12).

Se você nunca confessou de forma audível que Jesus é o Senhor, o seu Senhor, hoje é um bom dia, agora é um bom momento. Se você crer que Deus ressuscitou a Jesus dentre os mortos e confessar Jesus como Senhor, será salvo do pecado e de seus efeitos.

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…