2
2

AOS HUMILDES, TUDO

“Então, o eunuco disse a Filipe: Peço-te que me expliques a quem se refere o profeta. Fala de si mesmo ou de algum outro? Então, Filipe explicou; e, começando por esta passagem da Escritura, anunciou-lhe a Jesus.” (Atos 8:34,35).
Bom dia!
A passagem que o eunuco estava a ler nas Escrituras Sagradas havia sido escrita pelo profeta Isaías há cerca de setecentos anos: “Foi levado como ovelha ao matadouro; e, como um cordeiro mudo perante o seu tosquiador, assim ele não abriu a boca. Na sua humilhação, lhe negaram justiça; quem lhe poderá descrever a geração? Porque da terra a sua vida é tirada.” (Atos 8:32,33).
Desafiado a explicar a Escritura, Filipe aproveitou a oportunidade, utilizou a mesma estrutura simples da pregação apostólica e anunciou-lhe Jesus. Tudo na Escritura Sagrada aponta para Jesus. Ele é o centro.
A pregação é, sem dúvidas, um grande desafio para qualquer discípulo de Cristo. Filipe e seus contemporâneos pregavam a Palavra, pregavam a Cristo crucificado e ressuscitado. Segundo o teólogo Hernandes Dias Lopes, “Não devemos pregar sobre a Bíblia, mas pregar a Bíblia. O mandamento apostólico é: ‘prega a palavra.’” (2 Timóteo 4:2). E Jesus é a Palavra, o Verbo que se fez carne.
Jesus é o servo sofredor descrito por Isaías, o Cordeiro mudo levado ao matadouro; é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, que nos foi revelado por João Batista. Ele é o Cordeiro sacrificado por Abraão; o Cordeiro cujo sangue foi aplicado nos umbrais das portas quando o povo de Deus saiu do Egito; Ele é o quarto homem na fornalha com Ananias, Misael e Azarias; Jesus é o Pastor nos Salmos de Davi; é o Redentor que vive declarado por Jó.
Quando Filipe, ao interpretar as Escrituras, anunciou Jesus ao eunuco, ele estava a fazer a mesma coisa que o Senhor fez aos discípulos no caminho de Emaús: “Ó néscios e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram! Porventura, não convinha que o Cristo padecesse e entrasse na sua glória? E, começando por Moisés, discorrendo por todos os Profetas, expunha-lhes o que a seu respeito constava em todas as Escrituras.” (Lucas 24:25b-27).
Algumas pessoas, vencidas pela ignorância ou cheias de preconceitos, rejeitam a Palavra, pois crescemos todos em uma atmosfera de ateísmo, apostasia e enganos. Elas dificilmente entenderão os segredos do reino de Deus ou terão acesso a seus oráculos, pois têm o coração endurecido.
Os humildes, como o eunuco, terão a porta das Escrituras e da salvação abertas, pois procedem com o coração sincero quando dizem: “Peço-te que me expliques”. Jesus reservou seus mistérios para os humildes: “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” (Tiago 4:6b).
REFERÊNCIA
LOPES, Hernandes Dias. Pregação Expositiva: sua importância para o crescimento da igreja. São Paulo: Hagnos, 2018.
Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…