2
2

A VOZ DO PASTOR

“Para este o porteiro abre, as ovelhas ouvem a sua voz, ele chama pelo nome as suas próprias ovelhas e as conduz para fora. Depois de fazer sair todas as que lhe pertencem, vai adiante delas, e elas o seguem, porque lhe reconhecem a voz.” (João 10:3,4).

Bom dia!

Hoje de manhã, em nosso culto semanal na Escola de Sargentos, enquanto comentava um texto da carta aos Hebreus, lembrei-me, emocionado, do tempo de aspirantado. Especificamente, lembrei-me do Soldado Renato. Durante uma operação que estávamos a realizar em um lugar reconhecidamente perigoso, por ser bem novo e, naquela época, atleta, sem perceber, tomava a frente da equipe. O Soldado Renato, que era bem maior do que eu, sabendo que eu era inexperiente, passava o braço, me empurrava para trás dele e dizia: “Fica atrás de mim, seu aspirante.” Naqueles tempos antigos, de poucos equipamentos e muita coragem, ele se colocava como meu escudo.

Nos últimos anos de vida do Padre Samuel, Tenente-coronel Capelão Militar da Polícia Militar em Minas Gerais, tive diversas oportunidades de ministrar com ele e, por muitas vezes, eu o ouvi dizer: “Em meu relacionamento com Jesus, eu gosto de vê-lo pelas costas.” Enquanto os ouvintes estranhavam e pensavam a respeito daquela frase, ele explicava: “Pois Ele é o Pastor e eu a ovelha que deseja segui-lo.”

Muitos problemas ocorrem quando saímos do alcance da vara e do cajado do Pastor. O risco aumenta muito quando deixamos sua proteção e seguimos por nossa conta e risco. O Bom Pastor, amorosamente, deseja nos conduzir em segurança, por essa razão, vai à frente. João diz que Ele chama cada ovelha pelo nome e elas lhe seguem, porque reconhecem sua voz.

A segurança das ovelhas está no compromisso e no poder do Pastor, que não permite que ninguém as arrebate de suas mãos: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão.” (João 10:27,28).

Como vivemos em um tempo em que há profusão de vozes, encantamentos, seduções e ruídos, nem sempre é fácil discernir a voz do Pastor. Porém, se você deseja seguir em segurança, precisa aprender a ver o Pastor pelas costas e se esforçar para ouvir sua voz. Você precisa entender que ouvir a voz do Pastor não é o mesmo que discernir o timbre, o tom e o som da voz, mas em obedecer-lhe. Dizer “as minhas ovelhas ouvem a minha voz e me seguem,” equivale a dizer que os verdadeiros seguidores de Jesus, ouvem, acolhem e obedecem sua Palavra.

Como estamos sujeitos a ameaças e enfrentamos perigos todos os dias, é um conforto saber que ninguém pode nos arrebatar das mãos do Bom Pastor. Nem homens, nem demônios; nem por meio de fraude, engano, surpresa ou força, nada pode nos separar dele: “Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Romanos 8:38,39).

O soldado Renato escolheu me proteger ao se colocar como escudo em minha frente. Ao entender o que ele estava a fazer, aceitei sua proteção e me lembro com gratidão e carinho daquele dia. Jesus deseja ser nosso escudo. Sua vontade é nos abrigar debaixo de suas asas, mas precisamos desejar e permitir essa proteção: “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes quis eu reunir os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das asas, e vós não o quisestes!” (Mateus 23:37).

Nesse tempo de incertezas, perigos, enganos, seduções e confusões, para sua segurança, você precisa aprender a ver Jesus pelas costas, precisa desejar e aceitar sua proteção, precisa ouvir sua amorosa voz e segui-lo.

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…