2
2

OS SÁBIOS E OS PEQUENINOS

“Naquela hora, exultou Jesus no Espírito Santo e exclamou: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado.” (Lucas 10:21).

Bom dia!

Frequentemente, nos deparamos com pessoas com necessidades. Nem sempre elas expressam isso claramente. Como discípulos de Jesus Cristo, devemos aproveitar essas oportunidades. O Reverendo Martin Luther King disse certa vez que “a pergunta mais urgente a ser feita nesta vida é: O que fiz hoje pelos outros?”

Este é um texto importante porque nele podemos ver a Trindade em ação: o Pai é o alvo da oração, o Filho é aquele que ora e o Espírito Santo é aquele em quem Jesus se alegra. Trata-se de uma oração em ação de graças oferecida a Deus, na alegria do Espírito, em razão do sucesso dos discípulos de Jesus, os pequeninos.

Jesus estava a treinar seus pequeninos vinte e quatro horas por dia, durante os sete dias da semana, por isso se emocionou com o crescimento deles. Nosso Senhor quer nos ver crescer e fazer as mesmas obras que Ele fez, por isso exultou, isto é, demonstrou grande alegria, com o sucesso dos discípulos.

Algumas pessoas podem considerar a demonstração de emoções uma fraqueza, porém, Jesus não tinha nenhum problema em se emocionar e demonstrar isso publicamente. Assim como se encheu de júbilo com o sucesso dos pequeninos, Ele chorou diante do túmulo de Lázaro. Longe de ser um Deus apático, Nosso Senhor se alegra com aquele que se alegra e chora com aquele que chora.

O motivo da grande alegria é Deus ter revelado os mistérios do reino aos pequeninos. E não o fez teoricamente, mas em manifestação clara de sinais e poder do Espírito Santo. Aquilo que Deus ocultou aos sábios e instruídos, Ele revelou aos pequeninos. Jesus colocou os sábios e instruídos de um lado e os pequeninos do outro; os soberbos, aos quais Ele resiste, de um lado, e os humildes, aos quais Ele aprova, do outro.

Verdadeiramente, a proposta de Jesus para a humanidade é completamente diferente daquilo que é valorizado e esperado pelos homens: “Irmãos, reparai, pois, na vossa vocação; visto que não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento; pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes; e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são; a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus.” (1 Coríntios 1:26-29).

Não é fácil viver como discípulo e fazer as obras que o Senhor quer que façamos. Não é fácil deparar com um necessitado e refazer sua agenda: “Precisa de ajuda?” “O que posso fazer para ajudar?” “Posso orar por você?” Não é fácil enfrentar a morte, visitar um enfermo, às vezes desconhecido, no hospital, visitar um preso ou suprir a necessidade de alguém. Porém, quando nos dispomos e fazemos isso, o Senhor se alegra!

Aquele que acha que não pode, nem consegue fazer isso, precisa rever sua posição, pois não é necessário ser sábio, nem instruído, não é preciso ter recurso, nem um diploma, é necessário, tão somente, ter um coração quebrantado e obedecer. Quando Jesus enviou os setenta, eles obedeceram e foram. E, porque obedeceram e foram, a eles foram revelados os mistérios do reino de Deus.

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…