2
2

JUSTIFICADOS PELA FÉ

“Sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos.” (Romanos 3:24,25)

Bom dia!

Em um mundo depravado, governado pelo pecado, onde não há um justo sequer e onde ninguém será declarado sem culpa em razão da obediência à Lei, um mundo no qual todos, judeus e não judeus, pecaram, se manifestou a justiça de Deus que foi testemunhada pela Lei e pelos Profetas.

Por esse motivo os Evangelhos mostram tanta alegria em razão do nascimento do Salvador. Agora, disse Paulo, sem Lei se manifestou a justiça de Deus, mediante a fé em Jesus Cristo para todos os que creem. Fica evidente a oposição que Paulo faz entre as obras da Lei e a fé em Cristo Jesus, o Redentor.

Ao afirmar que os que creem são justificados gratuitamente pela graça de Deus, o Apóstolo enfatiza que não há mérito nenhum em nós. A justificação é um ato exclusivo da vontade de Deus e independe das obras das pessoas. Não é o que você faz, é o que Deus fez.

Quando afirma “mediante a redenção que há em Cristo”, Paulo utiliza a mesma palavra que designa o ato de comprar um escravo para libertá-lo. Dizer que Jesus nos redimiu significa dizer que ele nos comprou com o seu sangue e nos libertou da escravidão do pecado.

“A quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação”. O propiciatório, a cobertura da Arca da Aliança, ficava no Santo dos Santos. Sobre ele, o sumo sacerdote, no dia da expiação, aspergia o sangue do animal sacrificado vicariamente, ou seja, em lugar do povo e para o perdão de seus pecados. Jesus, o Cordeiro de Deus, por meio e seu sangue derramado na cruz, remove o pecado daqueles que creem e os declara sem culpa, isto é, justificados diante de Deus. Este é o tema central da carta do Apóstolo Paulo aos Romanos: A justificação pela fé.

Ser declarado justificado não é o mesmo que ser declarado perfeito. A justificação é um ato declaratório e judicial de Deus que declara sem culpa, pelos méritos de Jesus, todo aquele que nele crê: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie.” (Efésios 2:8,9).

Como se trata de um ato de iniciativa de Deus do começo ao fim, Ele mesmo é o Justo e o Justificador. Aquele que se beneficia não tem razão para se gabar. Paulo diz que a jactância, a fanfarronada, a vanglória, foi totalmente excluída. Desse modo, aquele que, imerecidamente, é alcançado pela graça de Deus resta apenas a gratidão e o louvor, resta a oportunidade, o dever de oferecer a Deus uma vida sacrificada, o que Paulo nos lembra: “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.” (Romanos 12:1).

Uma vez que vivemos em um sistema religioso, parece que falta alguma coisa da parte daquele que é justificado, daquele que recebe o benefício, que recebe a graça. Nesse vazio, a religião propõe fazer coisas para merecer a graça que, por definição, é imerecida. Não há o que fazer, exceto, levantar as mãos vazias para o céu e receber, pela fé, essa maravilhosa bênção: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus.” (Romanos 5:1,2).

Cel. Cícero Nunes

Cel. Cícero Nunes

Professor Estudo Bíblico

Cícero Nunes Moreira é casado com Cibele Mattiello da Rocha Moreira. Ordenado ao ministério sacerdotal há vinte e cinco anos, autor e Pastor na Igreja Evangélica Vida com com Cristo e capelão voluntário na Policia Militar de Minas Gerais com atuação, principalmente na Academia de Policia Militar e no Hospital da Policia Militar. Mestre em Ciências da Religião pela PUC Minas e Coronel do Quadro de Oficiais da Reserva. Autor do Livro Religião e Direitos Humanos na Policia Militar e Segue-me! Conectando-se ao Evangelho de Lucas.

Você também pode gostar…